PSICODRAMA E MÉTODOS DE AÇÃO ON-LINE: TEORIAS E PRÁTICAS

Autores

  • Maria da Penha Nery Universidade de Brasília

Palavras-chave:

Psicoterapia online, Psicodrama online, Ambiente virtual, Métodos de ação, Pandemia

Resumo

Trata-se de um estudo de práticas psicoterápicas e socioterápicas desenvolvidas em ambiente virtual, no período de pandemia da Covid-19. Foram realizados métodos de ação on-line, dentre eles: psicodramas, sociodramas, teatros espontâneos e jogos dramáticos. Como objetivo, buscou-se compreender as especificidades desses métodos. Metodologicamente, foram realizadas análises da informação e da sociodinâmica desses encontros, por meio das quais confirmamos ou refutamos hipóteses relativas às especificidades e aos efeitos terapêuticos do atendimento on-line. A partir das análises, foram encontrados alguns fenômenos, definidos teórica e praticamente, dentre eles: realidade hipersuplementar, entrecruzamento de cenas, tele virtual, vínculo terapêutico virtual, corporalidade condensada, fala-ação, matriz sociocultural dinâmica e papel psicodramático-virtual.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

American Psychological Association (2013). Guidelines for the Practice of Telepsychology. American Psychologist, 68(9), 791-800. https://doi.org/10.1037/a0035001

Bachelard, G. (1994). O direito de sonhar (J. A. M. Pessanha, Trad.). Bertrand Brasil.

Bauman, Z. (2001). Modernidade líquida. Zahar.

Brito, V. (2006). Um convite à pesquisa: Epistemologia qualitativa e psicodrama. In A. M. Monteiro, A. M., D. Merengué, & V. Brito (Orgs.), Pesquisa qualitativa e psicodrama (pp. 15-56). Ágora.

Echenique, M. (Org.). (2021). Psicodrama Virtual: Explorando a toca do coelho. Araucária.

Fleury, H. J. (2020). Psicodrama e as especificidades da psicoterapia on-line. Revista Brasileira de Psicodrama, 28(1), 1-4. https://doi.org/10.15329/2318-0498.20203

González-Rey, F. (2002). Pesquisa qualitativa em psicologia: Caminhos e desafios (M. A. F. Silva, Trad.). Pioneira Thomson Learning. (Obra original publicada em 1999).

Gualeni, S., Vella, D., & Harrington, J. (2017). De-Roling from Experiences and Identities in Virtual World. Journal of Virtual Worlds Research, 10(2), 1-18. https://doi.org/10.4101/jvwr.v10i2.7268

Imholz, S. (2008). The therapeutic stage encounters the virtual world. Thinking Skills and Creativity, 3(1), 47-52. https://doi.org/10.1016/j.tsc.2008.02.001

Merengué, D. (2020). Descolonizando o psicodrama: Clínica e política. In A. Dedomênico, & D. Merengué (Orgs.), Por uma vida espontânea e criadora: Psicodrama e Política (pp. 37-59). Ágora.

Moreno, J. L. (1984). Psicodrama (3ª ed., A. Cabral, Trad.). Cultrix. (Obra original publicada em 1946).

Moreno J. L. (1993). Psicoterapia de Grupo e Psicodrama (2ª ed.). Editorial Psy.

Naffah, A., Neto (1997). Psicodrama: Descolonizando o imaginário. Plexus.

Nery, M. P. (2012). Grupos e Intervenção em Conflitos. Ágora.

Nery, M. P. (2018). Vínculo e Afetividade. Ágora.

Nery, M. P., Costa, L. F., & Conceição, M. I. G. (2006). O Sociodrama como método de pesquisa qualitativa. Paidéia

(Ribeirão Preto), 16(35), 305-313. https://doi.org/10.1590/S0103-863X2006000300002

Novotney, A. (2017). A growing wave of online therapy. American Psychological Association, 48(2), 48. https://www.apa.org/monitor/2017/02/online-therapy

Pieta, M. A. M., & Gomes, W. B. (2014). Psicoterapia pela Internet: Viável ou inviável? Psicologia: Ciência e Profissão, 34(1),18-31. https://doi.org/10.1590/S1414-98932014000100003

Resolução CFP n. 11 (2018). Regulamenta a prestação de serviços psicológicos realizados por meios de tecnologias da informação e da comunicação e revoga a Resolução CFP n. 11/2012. Conselho Federal de Psicologia. https://atosoficiais.com.br/lei/orientacao-psicologica-pela-internet-cfp?origin=instituicao

Riva, G. (2005). Virtual Reality in Psychotherapy: Review. Cyberpsychology and Behavior, 8(2), 220-230. https://doi.org/10.1089/cpb.2005.8.220

Thompson, R. B. (2016). Psychology at a Distance: Examining the Efficacy of Online Therapy. University Honors Theses. Paper 285. https://doi.org/10.15760/honors.292

Ulkovski, E. P., Silva, L. P. D., & Ribeiro, A. B. (2017). Atendimento Psicológico online: Perspectivas e desafios atuais da psicoterapia. Revista de Iniciação Científica da Universidade Vale do Rio Verde, 7(1), 59-68. http://periodicos.unincor.br/index.php/iniciacaocientifica/article/view/4029/3229

Vidal, G. P., & Castro, A. (2020). O Psicodrama clínico on-line: Uma conexão possível. Revista Brasileira de Psicodrama, 28(1), 54-64. https://doi.org/10.15329/2318-0498.20196

Vieira, É. D. (2020). Possibilidades psicodramáticas de resistência ao fascismo contemporâneo. In A. Dedomênico, & D. Merengué (Orgs.), Por uma vida espontânea e criadora: Psicodrama e Política. (pp. 19-35). Ágora.

Publicado

2021-04-24

Como Citar

Nery, M. da P. (2021). PSICODRAMA E MÉTODOS DE AÇÃO ON-LINE: TEORIAS E PRÁTICAS. Revista Brasileira De Psicodrama, 29(2), 107–116. Recuperado de https://revbraspsicodrama.org.br/rbp/article/view/442

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)