SOCIODRAMA COMO ESTRATÉGIA DE PROMOÇÃO DE SAÚDE EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Autores

  • Talita Andrade Leite Universidade Tiradentes – Departamento de Disciplinas Online – Aracaju (SE), Brasil
  • Walter Lisboa Universidade Federal de Sergipe – Centro de Educação e Ciências Humanas – Departamento de Psicologia – São Cristóvão (SE), Brasil.
  • Giceli Carvalho Batista Formiga Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia – Campus Tobias Barreto – Tobias Barreto (SE), Brasil.

Palavras-chave:

Internato e residência, Promoção de saúde, Prática psicológica

Resumo

A residência multiprofissional qualifica profissionais para o serviço na saúde pública, mas o tipo de atuação e os desafios podem gerar impacto à saúde mental, desde sintomas ansiosos e depressivos a transtornos mentais. O objetivo deste trabalho foi apresentar uma estratégia de intervenção sociodramática com residentes de um hospital universitário. Realizou-se uma reflexão a partir da interlocução entre um relato de experiência e da literatura. Durante a intervenção, os residentes mostraram-se receptivos à proposta sociodramática e relataram experiências de crescimento pessoal, acolhimento e fortalecimento do vínculo entre os colegas. Com isso, evidencia-se o potencial de promoção de saúde do sociodrama no contexto hospitalar, alinhado à Política Nacional de Humanização, ao propiciar acolhimento, crescimento pessoal e relações de trabalho mais harmônicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. (2010). HumanizaSUS: Documento base para gestores e trabalhadores do SUS/Ministério da Saúde, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. – 4a ed. 4 reimp. Ministério da Saúde.

Cahú, R. A. G., Santos, A. C. O., Pereira, R. C., Vieira, C. J. L., & Gomes, S. A. (2014). Estresse e qualidade de vida em residência multiprofissional em saúde. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, 10(2), 76-83. https://dx.doi.org/10.5935/1808- 5687.20140013

Carvalho, Y. M., & Ceccim, R. B. (2006). Formação e Educação em Saúde: Aprendizados com a Saúde Coletiva. In G. W. S. Campos, M. C. S. Minayo, M. Akerman, M. Drumond Júnior, & Y. M. Carvalho (Orgs.). Tratado de Saúde Coletiva (pp. 137-170). Hucitec.

Cavalcanti, I. L., Lima, F. L. T., Souza, T. A., & Silva, M. J. S. (2018). Burnout e depressão em residentes de um Programa Multiprofissional em Oncologia: estudo longitudinal prospectivo. Revista Brasileira de Educação Médica, 42 (1), 188-196. http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712018v42n1RB20170078

Cidade Negra (1998). Quanto Mais Curtido Melhor. Epic Records.

Cukier, R. (1992). Psicodrama bipessoal: sua técnica, seu terapeuta e seu paciente. (4a ed.). Ágora.

Drummond, J., & Souza, A. C. (2008). Sociodrama nas organizações. São Paulo: Ágora.

Figush, Z. (2010). O modelo contemporâneo de sociodrama brasileiro. In M. M. Marra, & H. J. Fleury (Orgs.). Sociodrama: um método, diferentes procedimentos. São Paulo: Ágora.

Fleury, H. J., Marra, M. M. (2005). Intervenções grupais na saúde. São Paulo: Ágora.

Fonseca Filho, J. S. (1980). Psicodrama da Loucura: correlações entre Buber e Moreno. São Paulo: Ágora.

Godoy, L. P., & Riquinho, D. L. (2018). O sociodrama como forma de amenizar as ansiedades da pós-graduação. Revista Brasileira de Psicodrama, 26(2), 140-145. https://dx.doi.org/10.15329/2318-0498.20180036

Gonçalves, C. S., Wolff, J. R., & Almeida, W. C. (1988). Lições de Psicodrama: introdução ao pensamento de J. L. Moreno (7a. ed.). São Paulo, São Paulo: Ágora.

Guido, L. A., Silva, R. M., Goulart, C. T., Bolzan, M. E. O., & Lopes, L. F. D. (2012). Síndrome de Burnout em residentes multiprofissionais de uma universidade pública. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 46(6), 1477-83. https://doi.org/10.1590/S0080- 62342012000600027

Lei n. 11.129, de 30 de junho de 2005 (2005). Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – ProJovem, cria o Conselho Nacional da Juventude – CNJ e a Secretaria Nacional de Juventude, e dá outras providências. Recuperado em 07 outubro, 2020, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004- 2006/2005/Lei/L11129.htm

Marra, M. M., Fleury, H. J. (2010). Sociodrama: um método, diferentes procedimentos. Ágora.

Monteiro, A. M. (2008). Atos socionômicos coletivos e o conceito de cena auxiliar. In

A. M. Monteiro, & E. R. S. Carvalho (Orgs.). Sociodrama e sociometria: aplicações clínicas (pp. 33-55). Ágora.

Pinheiro, C.W., Alves e Souza, A.M., Rolim, K.M.C., Luna, G.L.M., Brandão, M.V.L., Sequeira, C.A.C., Falcão, L. M. N., Alencar, A. B. (2021). Panorama of mental health of students in a multiprofessional residence program. Journal of Nursing and Health, 11(1), 1-14. https://doi.org/10.15210/jonah.v11i1.19020

Portaria Interministerial MEC/MS nº 1.077, de 12 de novembro de 2009 (2009). Dispõe sobre a Residência Multiprofissional em Saúde e a Residência em Área Profissional da Saúde, e institui o Programa Nacional de Bolsas para Residências Multiprofissionais e em Área Profissional da Saúde e a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Brasília. Seção I, p.7. Recuperado em 07 outubro, 2020, de http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15462-por- 1077-12nov-2009&Itemid=30192

Ramalho, C. M. R. (2011). Psicodrama e dinâmica de grupo. Iglu

Rocha, J. S., Casarotto, R. A., & Schmitt, A. C. B. (2018). Saúde e trabalho de residentes multiprofissionais. Revista Ciencias de la Salud, 16(3), 447-

https://doi.org/10.12804/revistas.urosario.edu.co/revsalud/a.7265

Rother, E.T. (2007). Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, 20(2), v-vi. https://doi.org/10.1590/S0103-21002007000200001

Silva, R. M. B., & Moreira, S. N. T. (2019). Estresse e Residência multiprofissional em saúde: compreendendo significados no processo de formação. Revista Brasileira de Educação Médica, 43(4), 157-166. http://dx.doi.org/10.1590/1981- 52712015v43n4RB20190031

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

Leite, T. A., Lisboa, W., & Formiga, G. C. B. (2022). SOCIODRAMA COMO ESTRATÉGIA DE PROMOÇÃO DE SAÚDE EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO. Revista Brasileira De Psicodrama, 30. Recuperado de https://revbraspsicodrama.org.br/rbp/article/view/535

Edição

Seção

Artigos Originais